Em um dia de calor...

Atualizado: Out 5

...tem gente que vende sorvete, tem gente que se lamenta.


Você já deve ter ouvido essa máxima - talvez com lenços ou guarda-chuvas, mas a ideia é a mesma.


Enquanto uns apenas reclamam de não conseguirem fazer o que querem ou até mesmo da vida e quão injusta ela é, outros se dedicam a dar a volta por cima (vamos combinar que é muito mais fácil ser da primeira galera).


Conseguir achar oportunidades em uma situação difícil não é para qualquer um.


É preciso ter na cabeça uma palavra que está super na moda ultimamente: Resiliência.


Se você procura "Resiliência" no Google são aproximadamente 27.200.000 resultados (viu como está na moda?)


Resiliência vêm da física é o nome dado a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica.


Já o sentido figurado significa capacidade de se recobrar facilmente ou se adaptar à má sorte ou às mudanças.


Ou seja, não quer dizer evitar problemas ou situações ruins, mas sim passar por elas e se recompor.


Vou te contar uma história. Mas antes disse vou te dizer que se você pesquisar um pouco mais vai ver inúmeras dicas de como ser mais resiliente no trabalho, na vida a dois e em diferentes áreas da vida.


Isso só mostra que essa característica muitas vezes não vem de fábrica em nós, seres humanos. Mas pode ser aprendida e trabalhada.


Em 2015 eu tinha 2 pequenos cafés dentro de 2 salões de beleza diferentes em São Paulo junto com um sócio (que aliás foi quem me chamou para começar o negócio).


Na época, não sabia gerir uma empresa. Eu sabia cozinhar e sabia que queria ter um lugar onde as pessoas pudessem se reunir, comer bem e se divertir. Enfim...


Um belo (e por belo quero dizer trágico) dia meu sócio me chamou e disse que não queria mais lidar com aquilo tudo. Não era o que ele imaginava quando pensou em abrir um negócio.


Na hora, fiquei chocada. Como assim não era o que imaginava? No final da conversa, nos despedimos e ficou quase por aquilo mesmo.


Eu chorei no carro. Muito. Fiquei pensando como lidaria com tudo aquilo sozinha. Produção, atendimento, compras, colaboradores...


Mas vou dizer que nunca passou pela minha cabeça entregar o negócio.


Eu podia ter falado "Beleza. Não vou continuar nisso. Fecha as portas e pronto." Foi minha primeira decepção no mundo do empreendedorismo.


Mas eu não podia ver o negócio morrer daquele jeito. Tinha dedicado tempo, energia e dinheiro para estar ali. Resolvi continuar.


Respira fundo e vai...


A partir daquele momento, mudei o cardápio e o jeito da empresa. Comecei a ouvir o que os clientes queriam e adaptar a realidade. Mudei o local da minha produção para uma casa que colori da minha maneira, comecei a treinar os colaboradores de outra maneira...


Achei oportunidades naquele momento complicado e a tristeza (que poderia ter me consumido) foi diminuindo aos poucos. E hoje tenho orgulho de contar essa história para você.


Não foi o único momento nem vai ser o último que vai me ensinar a ser resiliente.


Aliás, ser empreendedor é pura resiliência.


Não passa um dia se quer que você não aprende, erra, conserta, erra de novo, conserta de novo, aprende de novo.


Mas sempre tem alguma coisa dentro de você que te faz seguir em frente. Que te faz querer. Que te faz estar ali todos os dias. Ser resiliente faz parte do seu dia-a-dia.


Você não está sozinho(a) nessa. Te garanto.


Então da próxima vez que você encontrar um desses desafios pela frente, pense que você está super na moda (tem muita gente pesquisando como ser assim) e siga em frente, sempre mais forte do que no dia anterior.







#empreendedorismo #empreender #resiliência #aprendizado