Sair vendendo por aí é a melhor estratégia para você?


Se você tiver tempo, disponibilidade e locais adequados para isso, a resposta é sim. Na faculdade, em feiras e bazares - não vou aqui entrar no mérito de vender diretamente na rua ok? Aqui em SP, pelo menos, existem diversas leis que regularizam esse tipo de serviço e que devem ser respeitadas.


Agora se você não tiver condições de estar disponível durante várias horas do dia, é melhor focar seus esforços de outro jeito.


Que tal pesquisar pequenos comércios perto da sua casa e oferecer seus produtos em consignação?

Essa é uma prática utilizada por diversas empresas onde o vendedor (no caso você), deixa seus produtos expostos em uma loja por determinado tempo. Caso sejam vendidos, o valor é repassado para você. Caso não, você não recebe e leva-os embora.


Para começar com esse tipo de venda, você precisa primeiro:

  • Visitar o local primeiro, antes de oferecer. Veja a decoração e, se possível, o tipo de clientes que a loja atrai.


  • Ponha-se no lugar do(a) dono(a). Será que seu produto agrega algo aos clientes dele(a)? Complementa a venda de alguma maneira? Por exemplo, será que seu brownie maravilhoso pode ser uma boa em uma loja de roupas femininas? Com certeza. Agora um pão caseiro, talvez fosse melhor aceito em açougue, não acha?


  • Pense: onde seu produto ficará exposto? Tem espaço para isso? Voltemos ao brownie na loja de roupas: um ótimo local seria no caixa - enquanto a atendente passa as peças, os clientes normalmente observam o balcão e podem dar de cara com aquele brownie chocolatudo incrível.

  • Esse local fica muito longe? Com qual freqüência você irá repor e/ou verificar seus produtos?

E a pergunta final:

  • Esse local vale a pena? Seja honesto(a) com você mesmo. Às vezes dá mais trabalho do que resultado ou você gasta mais dinheiro para ir até lá que sua margem de lucro acaba indo pelo ralo. Ou não tem um espaço interessante para deixar seus produtos ou simplesmente não combina com a loja. Pense nisso.


Mas como posso começar?


Sabe aquela história do "quem sabe faz ao vivo?"


Então, é nesse momento que você deve convencer as pessoas que seu produto vale a pena.

Ofereça uma amostra à pessoa que tem o poder de decisão (gerente ou dono da loja).


Mostre que seu produto ficaria lindo naquele local - você pode investir em uma cesta bonita que combine com a decoração da loja, por exemplo. Fale da sua produção, como é organizada, quanto carinho e bons ingredientes são colocados ali.


Explique a pratica da consignação e como não teria nenhum investimento da parte da loja - nessa parte normalmente eles prestam mais atenção.


Ofereça um período curto e imediato de teste. Algo como "posso deixar alguns bronwies hoje e volto em 3 dias para vermos como foi, o que acha?" - deixe na quinta e volte na segunda, por exemplo.

Agora a chave aqui é dar amostras para as pessoas que efetivamente podem vender o seu produto.


No caso da loja, ofereça amostras para as(os) vendedoras(es). São elas(es) que vão levar o cliente até o seu produto.


Pense nelas(es) como aliados do seu negócio. Assim você pode ter mais clareza se o produto está sendo visto e ofertado naquele local.


Outro desafio aqui é como fazer o controle das vendas, afinal você não estará lá o tempo todo. A resposta para isso é simples:


Faça uma planilha com data, quantidade deixada, quantidade retirada, valor e assinatura ou nome de quem recebeu os produtos. - eu faria isso até mesmo no dia do teste.


Peça para a pessoa que receber confirmar quantos produtos estão ali e assinar. Avise quando será a próxima visita. O combinado não sai caro.


Nesse estilo de venda é essencial pensar na VALIDADE DOS PRODUTOS.


Você é responsável pela qualidade dos seus produtos, mesmo estando em outro local. Então é importante colocar a etiqueta com a validade e fazer a reposição constante.


Além disso os ingredientes do seu produto devem estar presentes na etiqueta - caso alguém tenha alguma alergia ou precise saber. Ou você pode fazer um pequeno cartaz, se a loja permitir.


Deixe seu contato. Pode ser um cartão ou um pequeno flyer.

Se o cliente gostar, pode falar com você diretamente.


Não esqueça do Pós-Venda. Fale com as pessoas do local. Descubra se os clientes gostaram ou não e se foi bom para a loja também.


Essa prática de venda é muito interessante para atrair novos clientes com baixo custo de investimento mas exige atenção na organização das entregas e reposições.


Não adianta deixar o produto lá e esquecer. Imagina se o cliente pega um brownie já "capenga"... Deus me livre! Ruim para você e para a loja também... e seu negócio perde dos dois lados.


Ah! Não deixe grandes quantidades ou muitas variações do seu produto na loja.


Escolha os que tem maior potencial de vendas e que caibam - de maneira organizada - no espaço acordado entre você e o local.


Ao longo do tempo você pode incluir outros sabores ou trocá-los conforme a demanda.


Lembre-se que esse tipo de venda depende da parceria e bom senso de ambas as partes, ok?


Gostou das dicas? Então bora começar e boas vendas!


Image by 200 Degrees from Pixabay